VISITANTES   410.988
Santa Maria Manuela aloja competidoras

"Este ano temos a novidade de ficar instaladas num barco, algo que nunca vivi na vida... Esta prova é fantástica até por isso", comentou a brasileira Maylla Venturin, actual quinta classificada do Circuito Mundial, após dar entrada no Santa Maria Manuela, que por estes dias serve de hotel às competidoras de bodyboard da Miss Sumol Cup.
Por seu turno, Maria Abecasis, a grande vencedora da quinta etapa da Liga Meo Pro Surf, estava radiante por estar alojada no lugre construído há 74 anos e recuperado há dois anos.
"Isto aqui é óptimo, é uma experiência gira e o ambiente é muito bom", sustentou a nova Miss Sumol Cup em surf, observando: "Não abana nada, o que me surpreendeu, e depois temos sido muito bem tratadas pela tripulação".

 Image

Amanhã, o jantar de encerramento da 7.ª edição da Miss Sumol Cup, que juntará todas as competidoras de bodyboard, juízes e staff do evento, realiza-se no convés do navio, naquilo que será, por certo, mais uma experiência inolvidável para todos os que marcarem presença no repasto.

Image

O Santa Maria Manuela - juntamente com os lugres ex-bacalhoeiros Creoula, Argus e Gazela - é um dos últimos sobreviventes da Frota Branca Portuguesa, designação que deriva do facto de os cascos serem brancos, uma estratégia utilizada durante a II Grande Guerra para que não fossem atacados por submarinos.
Os gémeos Creoula e o Santa Maria Manuela foram construídos lado a lado nos estaleiros navais da CUF em Lisboa, em 1937.
E a verdade é que quando o Santa Maria Manuela foi construído com o objectivo de rumar à Terra Nova pescar bacalhau, ninguém pensaria que 74 anos depois iria servir de hotel para algumas das melhores surfistas nacionais e algumas das melhores bodyboarders mundiais. E se nessa altura isso seria impensável, inimaginável o era quando há menos de 20 anos o navio foi mandado abater, tendo, então, resistido apenas o casco original.

Image

Após um longo processo de recuperação, o Santa Maria Manuela é hoje um ícone (vivo) da história marítima portuguesa, em geral, e da faina bacalhoeira ilhavense, em particular.
Adquirido pela empresa Pascoal & Filhos já neste século, o lugre já não vai à pesca, mas realiza viagens turísticas e expedições científicas, tendo condições extraordinárias para alojar os passageiros.
É devido às suas novas e modernas funcionalidades que o navio tem sido um óptimo e surpreendente hotel para as competidoras da Miss Sumol Cup, que não se cansam de elogiar as condições que encontraram a bordo e a simpatia da tripulação.

Image

Nos três primeiros dias do evento, um grupo de jovens surfistas portuguesas desfrutaram do conforto do lugre, aportado no Cais dos Bacalhoeiros, na Gafanha da Nazaré (Ílhavo), sendo que agora e até ao fim da prova serve de hospedaria para 14 bodyboarders oriundas de várias latitudes.

Miss Sumol Cup é patrocinada pela Sumol e Câmara Municipal de Ílhavo, com o apoio de Pascoal, Smart - Mercentro, Nestlé Fitness, Isabel Castro Cabeleireiros, Ekena Bay, Glicínias Plaza, Pizzarte, Luisóptica, Hotel das Salinas, Piz Buin, Tribo do Sol, Estação da Luz, Turismo do Centro de Portugal, Mais Centro.
Como Media Partners, o evento ilhavense conta com o apoio do Diário de Aveiro, Cosmopolitan, Sport Life, Girlz, Zona Radical e Antena 3. 

Nas páginas do Facebook de diversos patrocinadores estão a decorrer passatempos em que são oferecidos prémios muito apetecíveis, em especial pranchas de bodyboard.