VISITANTES   411.084
TRIUNFO HISTÓRICO DE JOANA SCHENKER NA COSTA NOVA

                                        Image

Joana Schenker conseguiu na MISS SUMOL CUP 2016 o feito inédito e histórico de vencer por três vezes, e de forma consecutiva, na praia da Costa Nova, algo nunca conquistado por qualquer atleta ao longo das 12 edições do evento.

A luso-germânica voltou a dominar a prova a contar para o Circuito Europeu de Bodyboard, mas a final foi das mais disputadas e renhidas dos últimos anos. Espectáculo de princípio ao fim, com as derradeiras ondas, já nos últimos segundos da final, a provocarem alterações na classificação.
A vencedora até nem entrou bem na bateria final, com a regressada Rita Pires e também Teresa Almeida a discutirem taco-a-taco a liderança. Marta Leitão, que até fez a primeira onda da final, ainda andou na refrega pela liderança no primeiro terço da final de 30 minutos, quando Teresa Almeida assumiu o comando, que conservou durante parte da bateria, mas acabou por não encontrar as melhores ondas.

                                        Image

Porém, quando já só faltavam 10 minutos, a regressada Rita Pires, que apenas veio competir à Miss Sumol Cup, interrompendo um jejum competitivo de cerca de dois anos, colocou-se na frente da final, posição que acabou por perder para Joana Schenker que, fruto de um último terço de prova muito forte, acabou por vencer com um score de 13.60 pontos (8.00 e 5.60 pontos).
Rita Pires, com um desempenho brilhante, até porque as condições de mar eram bastante difíceis, com a forte corrente a fazer estragos, quedou-se pelo segundo posto, com 13.00 (7.00 e 6.00 pontos), enquanto o terceiro lugar foi para Teresa Almeida, com 11.30 pontos (6.25 e 5.00 pontos), e na quarta posição ficou Marta Leitão, com 9.60 pontos (5.50 e 4.10 pontos).
Refira-se que as condições de mar acabaram por elevar o nível da competição e do espectáculo, com boas ondas, mas a levantar dificuldades às atletas devido à forte corrente que se fez sentir durante toda a final. Foi um confronto que exigiu muita técnica, mas igualmente muita capacidade física e lucidez na escolha das ondas.
O triunfo histórico de Joana Schenker acabou por ser ainda mais valorizado pelo alto nível competitivo que as quatro bodyboarders exibiram.

                                         Image

A Miss Sumol Cup 2014, 2015 e 2016 conseguiu ainda a melhor onda desta 12ª edição, com uma surfada nas meias-finais em que arrancou um 9.00 pontos aos juízes. Aliás, a segunda melhor onda também lhe coube, com uma de 8.00 já na final e que muito contribuiu para esta segunda vitória no European Tour of Bodyboard 2016.
Assim, Schenker está mais confortável na liderança do ETB 2016, mas Teresa Almeida (com um 2º e um 3º lugar) mantém a pressão. Já Marta Leitão, que não competiu em França, vai à Madeira e então decidir se faz o resto do Circuito. Rita Pires regressou apenas pela «recreação», pelo que não almeja metas competitivas.

                                        Image

"Vim à Costa Nova especialmente com dois objectivos: dar as aulas de ioga, que é o que faço agora profissionalmente, e rever amigos. Competir nem estava muito nos meus planos, mas o afecto que sinto pelos organizadores achei que seria positivo entrar nas provas. Senti-me bem e foi uma agradável surpresa para mim ter conseguido duas finais e ter lutado pela vitória", disse Rita Pires, que conquistou, enquanto profissional, 13 títulos nacionais e seis europeus.
A júnior Mariana Rosa, que ficou em terceiro lugar na sua meia-final e se bateu de forma impressionante para os seus 13 anos com o mar da Costa Nova, recebeu a distinção de Miss Simpatia 2016.

                                        Image

Neste último dia de Miss Sumol Cup 2016 foram surfadas 105 ondas. Ora, assim sendo, a «Onda Solidária» reuniu 444 euros, que a Associação de Surf de Aveiro (ASA), juntamente com o ActivoBank, entregou ao Lar do Divino Salvador, de Ílhavo, uma IPSS que acolhe mães solteiras.

DECLARAÇÕES DAS ATLETAS

                                        Image 

1ª classificada - JOANA SCHENKER: Começo a achar que fiz um contrato com a Costa Nova, porque as coisas aqui correm-me muito bem. Estou muito feliz com a vitória, mas a meio da final vi as coisas mal paradas, mas depois consegui dar a volta. Esta é a segunda vitória neste Europeu e assim consolido a liderança. Hoje foi muito cansativo e para além de uma prova de bodyboard foi uma prova à condição física de nós todas".

2ª classificada - RITA PIRES: "Foi uma final especialmente difícil por causa do mar. A minha intenção era apanhar duas ondas boas, porque o mar estava difícil. A meio do heat consegui uma boa e a outra só apareceu nos segundos finais. Ainda estive por momentos na frente, mas a Joana respondeu bem e recuperou o primeiro lugar. Aqui na Costa Nova, Neptuno brinda-nos sempre com o melhor, mas foi muito cansativo".

3ª classificada - TERESA ALMEIDA: "Não foi nada fácil... Foi um campeonato com condições exigentes. Com o mar que estava era difícil fazer muitas ondas, mas dá para fazer boas ondas. Foi uma final muito renhida e ainda estive bastante tempo da bateria na frente. Mesmo assim estou contente, ainda faltam muitas etapas para o fim do Europeu e vou lutar pelo título até ao fim".

4ª classificada - MARTA LEITÃO: "Estou contente, foi uma prova desafiante e foi duro para todas. Na final faltou-me uma segunda onda boa, mas estou contente com a minha prestação nestes três dias".

SURF SALVA

                                        Image

Surf, slackline, ioga e a sessão formativa, ministrada pelo Instituto de Socorros a Náufragos (ISN), «Surf Salva» preencheram o dia no areal em frente ao Contiqui Bar, fechando em beleza a 12ª edição do evento ilhavense.
Em parceria com o ISN, decorreu de manhã uma acção de formação sobre salvamento no mar e ainda de sensibilização ambiental, tendo o mar por foco.

                                         Image

Os jovens iniciantes de surf, antes da aula dirigida pelos monitores da ASA, participaram na sessão «Surf Salva», onde lhes foram passados alguns ensinamentos de suporte básico de vida e de como actuar em caso de assistirem a um afogamento nas praias.
No slackline foi uma actividade constante o dia todo, com muitos veraneantes a querem experimentar e a assistirem às demonstrações dos Aveiro Slackliners. Na entrega de prémios, houve uma demonstração de slackline humano, em que a cinta estava segura por um conjunto de jovens sobre a qual uma slackliner caminhou tranquilamente.

                                        Image

O Campeonato fechou com uma última aula de ioga, sob orientação de Rita Pires, e voltou a congregar muitos curiosos (e não só) que experimentaram as vibrações e sensações de uma correcta respiração e postura.